sábado, 12 de julho de 2008


O sentimento dessa vez paira no ar.
Não são somente um conjunto de sensações, mas a medida que ele olha nos olhos dela ele pode sentir com precisão que tudo que até então conhecêra se desfaz. O amor. Ele não mais entende as quatro letras que carinhosamente soaram e foram escritas e lidas em cartas, e-mails, beijos apaixonados. Não mais.
A jornada pelos sentimentos têm sido como sempre, cansativa e aconchegante. É possível abraçar, é possível sentir o cheiro distante do carinho que acaricia sua face a medida que anda. Sensações. Tudo que ele busca no momento não está mais aqui. Está sempre lá. Sempre nos olhos dela. Olhos que vejo e você também. Olhares diferentes, perdidos, cujo amor resgata aos merecedores e descuidados que gotejam sobre si a esperança de que mãos novamente se entrelacem. Que lábios se toquem. Que palavras ditas não mais escapem ao som. Que as marcas descansem sob o leito inconsciente das vontades.
Mais um olhar. Só mais um, a medida que os passos ficam distantes e a silhueta das costas toma cada vez mais forma, ele só sente falta do olhar. Alí onde ele pode repousar. Onde ele entende. Tudo que busca hoje é a contemplação. Certezas Ele não tem. Tudo que carrega consigo hoje é o sabor do olhar. O gosto amargo e puro da saudade.
O sentimento dessa vez paira no ar.
Aos olhos que vejo, que sinto. Que me abraçam. Janelas da alma de alguém de quem a saudade hoje me prega peças à cada despedida. À você Egle.

Por Ricky Wylde

Um comentário:

Ricky Wylde disse...

Sabia que faria jus a você! Não é poruqe é meu não o texto, mas ficou perfeito... também a musa ajuda!

Amo a princesa.